sábado, 27 de junho de 2015

Preconceito e Pré-conceito

Toda forma de liberdade é bela, desde que ela não vá contra os seus ideais
Todo protesto, reivindicação e manifestação são válidos, desde que não seja contra o que você apoia
Todos podem expressar suas opiniões, desde que não sejam contrárias as suas
Todos podem fazer o que desejam nas redes sociais, desde que não apareça em sua time line
Toda publicação é questionável, menos as suas
Todos são ignorantes, exceto os que pensam como você
Todos são iguais, menos os diferentes, esses devem ser combatidos.
Não por qualquer combate, mas por um combate preconceituoso, sem fundamento ético e motivado por massas de forma midiática.
Esse texto não é para um grupo específico, mas para todos os grupos que exercem qualquer tipo de preconceito e principalmente pré-conceito.
Conforme o conceito filosófico, um preconceito não é superado com o tempo, impedindo assim a verdadeira relação entre partes, já um pré-conceito é algo inevitável, pois a construção de conceitos ocorre a todo momento durante o relacionamento do self com o mundo que o rodeia, com o passar o tempo, esses conceitos podem, ou não, sofrer alterações. Sendo assim, podemos assumir que um preconceito não passa de um pré-conceito que surge em um indivíduo ou grupo, que por qualquer motivo que seja, prefere não relacionar-se com os diferentes ao invés de compreender e aceitar as diferenças, não permitindo ou aceitando a convivência e o bem comum.

Dito isso, posso afirmar que:
Quem prejulga negros, está errado.
Quem prejulga brancos, está errado.
Quem prejulga imigrantes, está errado.
Quem prejulga ricos, está errado.
Quem prejulga, pobres, está errado.
Quem prejulga a classe média, está errado.
Quem prejulga homossexual, está errado.
Quem prejulga héteros, está errado.
Quem prejulga ateus, está errado.
Quem prejulga crentes, de qualquer religião, está errado.
Para encerrar, não com a crise de necessidade de autoafirmação de muitos, mas com esse post.
Toda forma de generalização está errada.
Seria muito bom, sim seria ótimo, se antes de emitir qualquer crítica, as pessoas, em um súbito de bom senso, estudassem não somente a causa que defendem, mas as que são contrárias as sua opiniões.

Autoria: Rafael Silveira